Dra. Mariana Dubrull

Ácido polilático e sua ação antienvelhecimento

Ácido polilático e sua ação antienvelhecimento

O Sculptra (Ácido poli-L-lático), é um produto que ainda é pouco conhecido e utilizado no Brasil.

Sculptra é um dos produtos mais potentes e com mas efeito em estimular a formação e renovação do colágeno. É um tratamento surpreendente para restauras a firmeza e sustentação da pele, melhorar contornos faciais e suavizar os sinais de envelhecimento (melhorando a flacidez da pele). Promovendo, assim,  um efeito lifiting.

Você sabe o que é efeito lifiting? É um efeito que diminui a flacidez da pele, deixa o contorno do rosto mais bem definido e com mais firmeza.

Por ser  biocompatível não causando reações alérgicas ou formação de granulomas; e totalmente absorvido pelo organismo, não havendo riscos de reações futuras. 

Os resultados começam a surgir a partir da 3a semana após a primeira sessão e permanecem por até 25 meses.

Os resultados obtidos com o ácido poli-L-lático (Sculptra) são seguros e muito naturais, pois segue as formas e contornos naturais do nosso rosto e da nossa pele.

Ácido polilático para estímulo de colágeno e aparência natural

O uso facial do Sculptra, como é conhecido o ácido polilático em todo mundo, pode ser indicado em quase toda a face com o objetivo de melhorar o contorno do rosto e combater a flacidez. Também é indicado para pessoas que desejam corrigir a perda de volume da face, amenizando assim o aspecto de ossos mais proeminentes. Sua indicação é para combater a perda de volume e rigidez da pele do rosto.

As únicas regiões em que este tipo de preenchimento não deve ser aplicado são no contorno dos olhos, olheiras e nos lábios. Para preenchimentos de rugas, sulcos e o tratamento das olheiras, o mais indicado e o ácido hialurônico, mas isso é outro assunto, certo? Saiba mais sobre esse assunto aqui (tem texto sobre isso?)

Os dermatologistas não fecham uma idade ideal para a aplicação da substância, mas o procedimento costuma ser muito procurado, principalmente por mulheres, entre 30 e 50 anos. Se você deseja fazer preenchimento facial, deve procurar um dermatologista de confiança.

Como funciona a aplicação de ácido polilático?

Ao procurar o seu dermatologista e conversar sobre suas necessidades, ele irá analisar o seu caso e ver se é possível fazer a aplicação. Caso seja positivo, você irá fazer o procedimento no consultório.

O preenchimento facial começa com anestesia tópica, para começar a aplicação através de injeções com agulhas finas, uma vez que o ácido estará diluído, na camada subcutânea. Se aplicada em camadas mais superficiais, o ácido pode criar nódulos e irregularidades na pele.

Em uma mesma sessão, é possível tratar várias partes do rosto. Porém, para que os resultados sejam completamente visíveis, é preciso, no mínimo, de duas ou três sessões, com intervalos de quatro a cinco semanas cada uma. Isso também depende muito do grau de envelhecimento de cada paciente, ok!

Esse ácido possui tem absorção lenta, e permanecerá, aproximadamente, um ano e meio na pele promovendo a formação do colágeno. Sendo assim, é indicado fazer a manutenção nesses intervalos de tempo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
Saiba quais são as micoses mais comuns!

Saiba quais são as micoses mais comuns!

Micoses são infecções, que acometem várias partes do organismo, e são causadas por fungos, podendo ser de diversos tipos. Nas micoses superficiais, esses fungos podem se instalar na pele, nas  unhas e nos cabelos.

Essas condições de pouca ventilação, ambiente quente e bastante umidificado são propícias para o aparecimento de micoses, pois dificultam a absorção do suor, e assim, favorecendo a proliferação de fungos. Condições como: uso de sapatos fechados, uso de tecidos sintéticos, acúmulo de umidade em regiões de dobras.

Tipos de micose

As micoses mais comuns são as superficiais, que ocorrem na pele, mas também existem as micoses profundas, que acometem órgãos internos, que são tão incomuns quanto parecem, principalmente para pessoas de baixa imunidade.

As micoses mais comuns na pele são:

  • Tinha cruris, ocorre na região das virilhas, períneo e perianal;
  • Tinha pedis, que fica localizada nos pés;
  • Intertrigo,  acomete a região de dobras; quando ocorre entre os dedos dos pés é chamada popularmente de  frieira;
  • candidíase, fungo oportunista que se instala na pele, boca, unhas e partes íntimas, sendo proliferado em ambientes e situações de calor e umidade.
  • Onicomicose, fungos presentes nas unhas.
  • Tinha de couro cabeludo (capitis), Muito frequente em crianças pré-escolares e escolares
  • Ptiríase versicolor, é causada pela malassezia furfur, que faz parte da constituição normal da pele, popularmente chamada de micose de praia ou pano branco

Sintomas da micose

Os sintomas das micoses variam muito de acordo com o local infeccionado e com o tipo do do fungo. Os mais comuns são:

  • coceira;
  • descamação da pele;
  • áreas inflamadas;
  • lesões avermelhadas, castanhas ou brancas;
  • pequenas bolhas de água;
  • fissuras;
  • ardência.

Tratamento

O tratamento depende  do tipo de fungo e proliferação. Dessa forma, podem ser utilizados medicamentos tópicos, sendo xampus, sabonetes ou cremes, que devem conter substâncias próprias; ou  medicação oral, contendo cetoconazol, itraconazol, fluconazol e terbinafina; 

É importante ressaltar que a micose pode aparecer no mesmo lugar, mesmo tendo sido tratada. Isso porque o organismo tem novas chances de ser infectado, seja por uma nova proliferação ou micro-organismos que continuam viáveis. Por isso, é mais do que importante trabalhar na prevenção desses fungos.

O melhor tratamento é sempre a prevenção. Para evitar micoses, é importante não compartilhar objetos de uso pessoal; usar somente o próprio material ao ir à manicure; secar-se sempre muito bem após o banho, principalmente nas dobras, como as axilas, as virilhas e os dedos dos pés; não andar descalço em locais úmidos (como saunas, lava-pés de piscinas e vestuários); usar sempre cremes hidratantes; evitar ficar com roupas molhadas por muito tempo;  usar roupas e meias de algodão e não usar roupas, justas e com tecidos sintéticos que, na maioria das vezes, não absorvem o suor.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
Entenda como a mesoterapia pode ajudar na redução da papada

Entenda como a mesoterapia pode ajudar na redução da papada

A papada é uma parte do corpo que incomoda muita gente. Quem tem essa área mais volumosa, logo quer se livrar desse aspecto indesejado. Você é um desses?

Para começar, vamos falar sobre papada. Para quem não sabe do que estamos falando, é aquela região que fica debaixo do pescoço. A papada pode surgir por diferentes motivos, uma delas é o excesso de peso, grande quantidade de pele e flacidez muscular na região. Além disso, várias pessoas podem combinar diversos desses fatores.

O que é mesoterapia?

Existem diversos métodos e técnicas para reduzir a papada, uns funcionam, outros não. A mesoterapia é uma das técnicas eficientes.

As áreas com excesso de gordura são mapeadas e demarcadas, definindo os pontos onde será aplicado substâncias que causam lipólise (quebra da gordura), de acordo com a necessidade. Uma das principais substancias utilizadas na técnica é o ácido desoxicólico, com concentrações diferentes das utilizadas no tratamento corporal!

Além do combate à papada, ele pode ser usado para eliminar a celulite, diminuir gordura localizada, combater o envelhecimento da pele e da flacidez. Isso acontece porque esse tipo de terapia possui uma fórmula personalizada, que impede que o acúmulo de gordura nas células.

Como funciona o tratamento de papada com mesoterapia?

Para entender se sua papada é tratável via mesoterapia, você precisa procurar o seu dermatologista e ter uma conversa aberta, possibilitando que ele analise suas condições e o histórico médico. Caso você dê prosseguimento ao tratamento, é preciso tirar umas fotos e fazer o teste de alergia.

É possível ver os resultados depois de duas sessões, sendo que, o ideal é fazer 5, com um intervalo de 15 dias entre elas. É sempre importante aliar as sessões com alimentação adequada e exercícios físico.

Os tratamentos não são totalmente dolorosos, mas é possível sentir uma sensação queimação ou peso durante a aplicação do produto. 

Qualquer pessoa pode realizar o procedimento, porém, é claro, que existem algumas restrições. Por exemplo, se você tem alguma doença ou tem reação alérgica ao produto.

É sempre importante ressaltar que alguns cuidados devem ser tomados antes, durante e depois do procedimento, que são:

  • não usar maquiagem ou cremes, pelo menos, 4 horas depois do procedimento;
  • não tomar banho quente, 6 ou 8 horas após a aplicação
  • evitar cafeína e outros estimulantes;
  • evitar exposição ao sol;
  • fazer drenagem linfática um dia após o procedimento;
  • fazer o uso de protetor solar.

Depois de ler esse texto, você deve estar se perguntando: faço ou não faço o procedimento? Eis alguns benefícios:

  • aumento da autoconfiança;
  • evolução estética;
  • rejuvenescimento ;
  • recuperação da autoestima.

Muito importante lembrar que se o paciente apresenta queixo pequeno ou retruso pode ser necessário seu tratamento (mentoplastia) por meio de preenchimento com ácido hialurônico ou hidroxiapatita de cálcio, enxerto de gordura ou utilização de próteses para melhor definição do contorno da face para compensação de pele da papada.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
Mesoterapia para gordura localizada – conheça os benefícios

Mesoterapia para gordura localizada – conheça os benefícios

Considerado um método minimamente invasivo, a mesoterapia nada mais é que a aplicação de enzimas e medicamentos sob nossa pele ou subcutâneo. Essa técnica, também conhecida como intradermoterapia, foi desenvolvida na França e é muito utilizada para diminuir as  celulites em várias regiões do corpo, além de combater a flacidez da pele e a queda de cabelo.

O que muita gente não sabe é que a mesoterapia também é muito utilizada no combate à gordura localizada. Cada dia mais, homens e mulheres estão procurando esse tratamento para reduzir medidas e cuidar da saúde e da aparência do corpo.

Como funciona?

O primeiro passo para realizar a mesoterapia para gordura localizada é procurar um médico especialista em estética. Dessa forma, você irá garantir sua segurança durante todo o procedimento, além de alcançar o resultado esperado de forma segura e satisfatória.

A mesoterapia consiste na aplicação de substâncias ou medicamentos diretamente na região que está sendo tratada. A grande vantagem desse tipo de tratamento é que ele afeta somente a área determinada na hora da aplicação, evitando que outros órgãos ou regiões do corpo sejam prejudicados.

A quantidade de produto que será administrado no paciente irá variar de acordo com a parte do corpo que está sendo tratada. Além disso, a intensidade e o grau de avanço do problema estético também é levado em conta na hora de avaliar a quantidade e o número de aplicações.

Como a mesoterapia para gordura localizada é um tratamento pouco invasivo, o paciente não precisa utilizar qualquer tipo de cinta ou curativos após a realização do procedimento. Além disso, essa terapia é bem tolerada. Mas, no caso de pacientes que possuem maior sensibilidade na pele, é possível que apareçam alguns edemas e desconforto na área tratada após a aplicação.

Para os pacientes que possuem algum “roxinho”  na pele após a aplicação, recomenda-se que a exposição local aos raios solares seja evitada. Isso evita o surgimento de manchas na parte do corpo em que o procedimento foi realizado.

Mesoterapia para gordura localizada

De forma mais específica, a mesoterapia para gordura localizada é tratada por meio da combinação de diversas substâncias, como desoxicolato, L-Carnitina, Tripeptídeo- 41 entre outros. Particularmente, as aplicações de desoxicolato de sódio, têm desempenhado um papel lipolítico bem significativo, removendo a gordura localizada indesejada. Esta técnica de mesoterapia com
desoxicolato de sódio tem aparecido na literatura médica como responsável pela lipólise química, por ser um detergente iônico, e tem se demonstrado potencial como tratamento minimamente invasivo na redução de gordura localizada. Portando, ao serem aplicadas nas células de gordura corporal, essas  substâncias fazem com que a gordura tenha uma consistência mais fluida, fazendo com que ela seja reabsorvida de forma rápida e eficaz.

Após esse processo, a gordura acaba sendo metabolizada pelo organismo e eliminada de forma natural, por meio da urina e das fezes. 

Porém, fique atento! Para que a mesoterapia para gordura localizada realmente seja um tratamento eficaz, ele deve ser realizado por um profissional especializado e capacitado. Isso trará mais segurança durante todo o procedimento e os resultados que o paciente busca com a terapia.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
Tire suas dúvidas sobre o Lúpus Eritematoso Sistêmico

Tire suas dúvidas sobre o Lúpus Eritematoso Sistêmico

Você já ouviu falar em uma doença chamada lúpus eritematoso sistêmico? Considerada como uma patologia rara e autoimune, o lúpus eritematoso sistêmico faz com que o sistema imunológico do paciente reaja contra suas próprias células. Essa reação do organismo pode trazer danos para os órgãos internos da pessoa, como rim, pulmão, coração, cérebro e articulações, e também para a sua pele.

Lúpus eritematoso sistêmico é uma doença rara autoimune, ou seja, na qual o sistema imunológico reage contra as células da própria pessoa, causando danos que podem ser nos órgãos internos (rim, pulmão, coração, cérebro e articulações) ou somente na pele.  Afeta mais as mulheres que os homens, e mais adultos jovens que crianças e idosos.  Trata-se de uma doença crônica em que é importante o tratamento contínuo e monitorização para avaliar a atividade da doença.  Como a pele é afetada em 80% dos pacientes, o médico dermatologista é frequentemente o responsável pelo diagnóstico.

Por se tratar de uma doença crônica, é importante que o tratamento do lúpus  seja feito de maneira contínua e monitorada. Dessa forma, é possível acompanhar o desenvolvimento do problema e evitar que qualquer tipo de agravante se espalhe e piore a condição do paciente.

Pesquisas revelam que o lúpus afeta mais as pessoas do sexo feminino, tendo baixa incidência em homens. A faixa etária mais atingida são jovens adultos, tendo pouca incidência entre idosos e crianças. Para realizar o diagnóstico desse problema,muitas vezes  o paciente procura um dermatologista. Isso acontece porque mais de 80% das pessoas afetadas pelo lúpus  tem sua pele afetada pela doença.

Conheça os sintomas

Os sintomas apresentados pelo lúpus eritematoso sistêmico irão variar de acordo com o órgão afetado pela doença. Essa situação traz grandes prejuízos quando o assunto é diagnóstico, pois acaba atrasando a identificação do problema e agravando a situação do paciente.

Quando o lúpus  afeta a pele da pessoa, é muito comum que o principal sintoma apresentado seja uma elevada sensibilidade ao sol em regiões do corpo que normalmente ficam expostas, como os braços e o rosto. Diversas manchas vermelhas também podem aparecer no paciente. Quando não são cuidadas da forma correta, essas manchas podem descamar e causar cicatrizes no corpo.

Outro sintoma da doença é a queda de cabelo. Isso acontece quando o lúpus  atinge áreas com pelos, como é o caso do couro cabeludo.

Os sintomas mais comuns apresentados por pacientes que desenvolveram a doença em órgãos internos são a dificuldade respiratória, convulsões, aparecimento da trombose,  dor articular, perda de peso e má funcionamento dos rins. Além disso, dor nas articulações e mal-estar também são sintomas causados por esse problema de saúde.

Como tratar?

O tratamento do lúpus varia de acordo com o local em que a doença está presente no corpo do paciente. A proteção contra os raios solares é o primeiro passo na busca pelo tratamento desse problema. Na maioria dos casos, recomenda-se que o paciente faça uso de remédios imunossupressores como corticoides sistêmicos, antimaláricos e biológicos por muito tempo. Esses medicamentos vão trabalhar na redução das inflamações na pele e órgãos internos.

Além disso, o lúpus eritematoso sistêmico também pode ser tratado por meio da utilização de cremes próprios para a doença. Em alguns casos, especialistas recomendam que o paciente tome várias injeções locais que também irão trabalhar na redução das inflamações. Uma equipe multidisciplinar com reumatologistas, neurologistas, nefrologistas e pneumologistas pode ser necessária.

Para ter acesso ao melhor diagnóstico e tipo de tratamento, procure um dermatologista e garanta que sua saúde esteja em boas mãos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
5 mitos e verdades sobre as verrugas

5 mitos e verdades sobre as verrugas

Por muitos anos, as verrugas fizeram parte do imaginário fantasioso e criaram estereótipos negativos para quem as portava. Hoje, já se sabe que elas resultados de tumores benignos de pele, causados pelo papiloma vírus humano (HPV).

O HPV provoca o crescimento descontrolado das células da epiderme, fazendo com que as verrugas surjam em diferentes partes do corpo. Fatores como forma, tamanho e aspecto estão diretamente ligados aos diferentes tipos de infecção pelo HPV.

Para evitar que os mitos sobre as verrugas continuem se propagando, criamos este artigo que esclarecerá algumas verdades e mentiras sobre o assunto.

  1. As verrugas não precisam de tratamento”

Mito. Por se tratar de um problema decorrente de um quadro infeccioso, as verrugas exigem atenção especial de um dermatologista.

Muitas vezes pode ser curada sem necessidade de medicação, dependendo do estado imunológico do indivíduo. Porém, quando atinge longa duração, as verrugas não costumam desaparecer sem tratamento, exigindo que o paciente procure ajuda médica.

  1. “As verrugas não são contagiosas˜

Mito. O HPV é um vírus que pode ser transmitido pelo contato direto com pessoas portadoras do vírus e com objetos infectados. Além disso, pode ser passado de mãe para filho durante o parto, por meio da relação sexual desprotegida e aproveitar pequenos ferimentos como porta de entrada.

  1. O tratamento das verrugas pode ser feito com medicamentos sem prescrição médica˜

Mito. Existem no mercado farmacêutico vários produtos que prometem congelar as verrugas e removê-las definitivamente. Muitos destes produtos são vendidos sem prescrição médica. Contudo, a automedicação não é recomendada uma vez que se trata de uma doença causada pela infecção de um vírus que deve ser controlado para que não cause outros problemas e que a pessoa evite passar a doença para quem convive com ela.

Existem vários tipos e formas clínicas, portanto, seu médico deve orientá-lo sobre as causas e tratamentos.

Outro problema importante a ser discutido é que muitas lesões são muito semelhantes a verrugas. Não é aconselhável, por esse motivo, se automedicar.

  1. Verrugas podem ser sinal de câncer”

Verdade. As verrugas anogenitais, localizadas nas regiões pubiana e perianal, podem ser precursoras de tumores malignos como o câncer de colo de útero e o câncer de pênis. Por isso, ao menor sinal do aparecimento de verrugas, é essencial procurar um dermatologista para avaliar o caso e indicar o início do tratamento imediatamente.  

  1. É impossível prevenir o aparecimento das verrugas”

Mito. A prevenção do HPV pode ser feita através do uso de preservativo durante as relações sexuais e da vacinação contra o vírus. A vacina é indicada para meninas a partir de 9 anos e meninos de 12 a 13 anos. Ela tem caráter preventivo e, justamente por isso, é ministrada antes do início da vida sexual do adolescente.

O tratamento para as verrugas varia de acordo com o grau do problema. Em alguns casos, o dermatologista indicará medicamentos específicos para cauterização química do tumor benigno. Já em outros, pode ser necessário fazer a remoção cirúrgica da verruga através da eletrocauterização, da crioterapia, ou da aplicação de  laser.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
Tire suas dúvidas sobre depilação a laser

Tire suas dúvidas sobre depilação a laser

A depilação a laser foi uma grande revolução entre os tratamentos estéticos para remoção do excesso de pelos no corpo. Os incômodos causados pelo surgimento de fios escuros, grossos e desordenados podem ser facilmente eliminados com essa técnica.

Muitas clínicas oferecem este tratamento com aparelhos e até mesmo nomes diferentes. Por isso, é comum que homens e mulheres tenham muitas dúvidas sobre o assunto. Neste artigo, listamos tudo o que você precisa saber antes de realizar a depilação a laser.

Como funciona

A depilação a laser atua diretamente no folículo piloso, responsável pela formação de novos pelos. O laser é atraído pela melanina, eliminando o folículo capilar.

Quanto mais escuro o pelo, maior a quantidade da melanina. Por isso, pessoas com pelos escuros tendem a se beneficiar mais com essa técnica.

“Sentirei dores durante a depilação?””

Nem sempre. Pode ser que a pessoa sinta desconfortos pontuais a cada novo disparo do laser. A sensação, normalmente, é de ardência na região. Porém, isso pode variar de acordo com a sensibilidade ao calor de cada pessoa, a área em que o tratamento está sendo realizado, o estresse do paciente e o período do ciclo menstrual.

No caso de pacientes que relatam dor durante o procedimento, o médico poderá prescrever o uso de anestésicos locais. Isso é comumente recomendado para áreas mais sensíveis como buço ou em sessões mais demoradas.

Vermelhidão após a sessão

É normal que o local depilado fique quente e avermelhado após a sessão. Contudo, essas intercorrências costumam durar de duas a quatro horas após a sessão. Em alguns casos, é possível notar o surgimento de uma fina crosta, que desaparecerá em alguns dias.

Se a vermelhidão persistir mesmo depois do tempo citado, um dermatologista deverá ser procurado o quanto antes. Infelizmente, há muitos profissionais despreparados para lidarem com os equipamentos de depilação a laser. Vermelhidão duradoura na região pode indicar queimaduras na pele.

Número de sessões recomendado

O número de sessões depende das características do paciente e da quantidade de áreas escolhidas. Normalmente, são recomendadas pelo menos 6 sessões para redução dos folículos piloso.

Se após o encerramento do tratamento, os pelos voltarem a aparecer, o paciente poderá retomar algumas sessões para eliminar os folículos restantes.

Antes de iniciar a depilação a laser avalie com cuidado o local escolhido para fazer o tratamento.

O outono é uma ótima estação para iniciar o procedimento, uma vez que a incidência solar é menor, o que favorece a recuperação da pele após as sessões. Informe-se, tire suas dúvidas e elimine os tão indesejados pelos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
Como prevenir o câncer de pele

Como prevenir o câncer de pele

A cada novo ano, o Instituto Nacional do Câncer estima que surjam 180 mil novos casos de câncer de pele no Brasil. O tumor é responsável por 33% dos casos diagnosticados de câncer no país. Os números são alarmantes, mas é possível prevenir a doença.

O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal e descontrolado das células da pele. Os tumores mais comuns nesse órgão são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Eles são também os menos agressivos. Já o melanoma é o mais raro e agressivo, podendo até mesmo ser letal.

Prevenção do câncer de pele

A radiação UV tem efeitos negativos sobre as células da pele. Pessoas que se expõe com frequência à radiação solar estão mais propensas a terem câncer de pele.

Neste artigo, listamos alguns cuidados simples que poderão ajudá-lo a evitar o surgimento deste tipo de tumor. São eles:

 

  • Cubra as áreas expostas do corpo ao tomar sol: Evite o contato da pele diretamente com o sol, sempre que possível. Use chapéus, bonés, calças e camisas de manga comprida. Já existem, inclusive, roupas dotadas de fotoproteção que bloqueiam os raios solares, sem fazer com que o indivíduo transpire excessivamente em dias quentes.
  • Em piscinas ou praias, prefira barracas de lona e nylon: a lona consegue barrar mais de 50% da radiação solar. Já as barracas de nylon são ainda mais eficientes, barrando até 95% da radiação solar.
  • Use protetor solar diariamente: parece dispensável falar disso, mas muitos brasileiros ainda negligenciam o uso do filtro solar. Ele deve ser aplicado diariamente e não só quando a pessoa fora tomar sol na praia ou em clubes. Ao escolher o protetor solar, priorize produtos que tenha proteção UVA e UVB e que tenham FPS acima de 30. Espalhe o filtro solar pelo corpo pelo menos 30 minutos antes de se expor ao sol. O protetor deve ser reaplicado a cada 2 horas ou sempre que a pessoa entrar no mar ou na piscina. Vale lembrar que crianças só poderão usar filtro solar a partir dos 6 meses.
  • Faça consultas de rotina ao dermatologista: o acompanhamento médico é fundamental para detectar precocemente o câncer de pele. O recomendado é que uma vez por ano você se consulte com o dermatologista para que ele acompanhe a evolução da sua pele e identifique qualquer sinal de alerta.
  • Evite bronzeamentos artificiais: existem diversos tipos de bronzeamentos artificiais disponíveis no mercado. Os mais comuns são realizados através de câmeras de bronzeamento. Apesar de ser comercializado como algo seguro, o bronzeamento artificial aumenta em 50% a chance de desenvolver o melanoma;
  • Evite se expor ao sol entre 10h e 16h: nessa faixa de horário, a incidência de raios solares é maior. Por isso, sempre que possível, opte pelo sol da manhã ou pelo fim de tarde

 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
Rejuvenescimento íntimo: entenda como funciona e quando é indicado

Rejuvenescimento íntimo: entenda como funciona e quando é indicado

O lançamento da técnica de rejuvenescimento íntimo provocou uma nova corrida aos consultórios dermatológicos. Diversas mulheres já aderiram ao tratamento que promete aumentar o prazer sexual e melhorar a estética da região pubiana.

Muito se tem falado sobre o assunto, mas ainda existem muitos mitos sobre o método. Antes de mais nada, é preciso esclarecer que o rejuvenescimento íntimo não ter a ver com a virgindade e não recupera o hímen feminino. Trata-se de uma técnica dermatológica para melhorar a estética, tônus  e a vascularização da região pubiana.

A técnica trata a flacidez por meio de laser ablativo, estimulando a produção de colágeno, promovendo a sustentação da pele e o aumento da vascularização local. Em resposta ao estímulo, acontece o estreitamento do canal vaginal, gerando mais atrito e sensibilidade durante o sexo. O rejuvenescimento também pode ser feito na parte externa, tratando a flacidez dos grandes lábios vaginais e clareando a pele da região como um todo.

Como funciona o método

O rejuvenescimento íntimo é feito através da aplicação de laser na região pubiana.  Estimulando a produção de colágeno, responsável por dar mais firmeza e sustentação a pele.

O  laser pode ser usado ainda como forma de tratamento auxiliar para incontinências urinárias brandas.

Quando ele é meramente estético, pode ser feito paralelamente ao preenchimento dos grandes lábios vaginais e aos peelings mecânicos superficiais, para potencializar o efeito de clareamento da região.

Resultados esperados

A produção de colágeno melhora a firmeza da pele da região pubiana, rejuvenescendo o local. Além disso, há ainda maior vascularização da região, o que provoca mais sensibilidade durante a relação sexual e, consequentemente, aumenta o prazer feminino.

É comum que haja maior lubrificação da região vaginal, após o procedimento. Por isso, ele tem sido cada vez mais procurado por mulheres na menopausa que sofrem do ressecamento da vagina.

O processo é indolor e o número de sessões varia de acordo com cada paciente. A maior parte dos casos exige de três a cinco sessões para se alcançar bons resultados.

O resultado já pode ser visto após a primeira sessão. As atividades normais podem ser retomadas após cada uma das sessões.

Quando é indicado

O tratamento pode ser indicado para:

  • mulheres que se incomodem com a estética da região
  • amenizar as marcas deixadas pelo parto
  • pessoas a partir da meia-idade que sentem o prazer sexual diminuído
  • casos leves de incontinência urinária

As mulheres estão cada vez mais preocupadas com o prazer e continuam sexualmente ativas mesmo depois da menopausa. O rejuvenescimento íntimo é uma excelente alternativa para quem quer se cuidar e aumentar seu bem-estar nos relacionamentos.

Procure seu dermatologista e faça uma avaliação individual do seu caso. Ele é o profissional mais indicado para cuidar da saúde da sua pele, seja qual for a região do corpo. Fique bem consigo mesma e aproveite os prazeres da maturidade.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos
Flacidez: porque surge e como tratar

Flacidez: porque surge e como tratar

A flacidez de pele incomoda muitas mulheres devido ao aspecto que costuma causar de frouxidão e moleza. Mais do que um efeito da gravidade, a condição pode estar ligada à inúmeros fatores. É possível tratá-la com alguns procedimentos estéticos que prometem devolver a firmeza para a pele em poucas sessões.

Causas da flacidez

A frouxidão da pele é causada por diversos fatores. Ao contrário da flacidez muscular, que surge, principalmente, devido ao sedentarismo, a flacidez de pele é multifatorial e é causada pelo amolecimento do tecido.

As causas mais comuns são:

  • gravidez
  • efeito sanfona
  • envelhecimento natural da pele (costuma ocorrer a partir dos 30 anos, em geral)
  • excesso de exposição ao sol

Tratamentos

A dermatologia está muito avançada no que diz respeito a tratamentos para combater a flacidez na pele. Existem inúmeras opções que devem ser avaliadas com o seu médico para que ele indique a que terá melhor resultados para você.

Conheça algumas opções:

  • radiofrequência fracionada: esse método provoca a contração do colágeno na pele através do aquecimento da pele e do músculo a uma temperatura de 41ºC. A elevação de temperatura faz com que aumente a produção de colágeno e de elastina, o que tem como resultado mais firmeza e sustentação para a pele. Os resultados são progressivos e podem ser observados logo após a primeira sessão. Quanto mais sessões, melhores os resultados.
  • carboxiterapia: consiste na aplicação de CO2 visando estimular a oxigenação e a expulsão de toxinas da pele, o que permite que a pele ganhe um aspecto mais firme e viscoso.
  • peeling químico: quando a flacidez ocorre no rosto, é possível tratá-la por meio deste método. A técnica consiste na aplicação de produtos químicos na face para que ela descame e volte a nascer mais forte e resistente.
  • mesoterapia: é realizada através de pequenas injeções de substâncias que tem efeito rejuvenescedor, tais como ácido hialurônico, silício orgânico e as vitaminas A, B, C, E e K. Pode ser feita nas regiões da face e do pescoço.
  • microagulhamento: esse é método é realizado com ajuda de um pequeno rolo dotado de micro agulhas. O equipamento é deslizado sobre a pele para fazer pequenos furinhos na derme, o que estimulará a produção de uma nova camada de pele mais saudável e rejuvenescida.
  • luz pulsada: técnica realizada com apoio de um equipamento que emite luz e calor em determinada frequência, estimulando a renovação do colágeno e, consequentemente, a melhoria da textura da pele e a eliminação da flacidez.
  •  Sculptra:  É um bioestimulador, ou seja, ele causa um aumento da produção de colágeno pelas células da pele. O colágeno formado é o responsável pelo preenchimento corporal, firmeza e sustentação. Indicado para flacidez de interno de braços, interno de coxas, glúteos e abdômen após emagrecimento ou flacidez após a gravidez.
  • Laser Fracionado: Este tipo de tratamento gera múltiplos pontos microscópicos extremamente aquecidos na pele, cercados por ilhas de tecido não tratado. Desta forma, a reepitelização com produção de colágeno.

Como você pode perceber, não faltam tratamentos para tratar a flacidez. Por isso, caso você tenha algum incômodo estético causado por esse problema, procure um dermatologista e faça uma avaliação personalizada.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  dermatologista em Araraquara!

Posted by Dra. Mariana Dubrull in Todos