celulite

Tire suas dúvidas sobre o tratamento da celulite

A lipodistrofia ginóide popularmente conhecida como celulite é dermatose inestética comum que afeta de 85% a 98% das mulheres de todas as raças. Dependendo da intensidade do quadro estabelecido, essa condição
pode ser responsável por relevantes distúrbios psicossociais.

A celulite tende a ocorrer nas áreas onde a gordura está sob a influência do estrógeno (hormônio feminino), como nos quadris, coxas e nádegas; de forma rara, pode ser encontrada também nas mamas, parte inferior do abdome, braços e nuca – curiosamente áreas em que é observado o padrão feminino de deposição de gordura.

Raramente é observada em homens, mas pode ocorrer quando houver algum desequilíbrio hormonal.

Provocada por  água no interior das células, gerando seu inchaço; inflamação tecidual; fibrose e acúmulo de gordura. A causa da celulite não é plenamente conhecida e é pouco estudada; existem inúmeras suposições não comprovadas.

O problema é como um fantasma no corpo da mulher e não é exclusivo de pessoas com sobrepeso, estando presente em mulheres mais magras. Mesmo sendo tão comum no universo feminino, há muitas dúvidas sobre como elas podem surgir e seus tipos de tratamentos, entre outros.

Entre os fatores de predisposição temos: o fator genético; as alterações circulatórios (vasculares e linfáticas), que é feita de maneira ineficiente, gerando resíduos e edema intersticial; as alterações hormonais, níveis de estrogênio (hormônio feminino) muito altos provocam disfunções no metabolismo que podem criar ou agravar a celulite; o estilo de vida, a má alimentação (excesso de açúcares e carboidratos), o sedentarismo, a tensão emocional e o excesso de toxinas no organismo contribuem para o aparecimento da celulite.

Saiba mais sobre a celulite e a forma de tratá-las

A celulite não tem cura definitiva, mas hoje em dia há uma série de tratamentos capazes de amenizar seu aspecto consideravelmente e diminuir as chances de reaparecimento. Há alguns fatores relevantes que podem determinar o sucesso do tratamento, como os hábitos cotidianos e a genética, sendo importante uma avaliação ampla não só da saúde, como também do que possa ter levado a paciente a adquiri-las.

Listamos abaixo uma série de perguntas e respostas para esclarecer as dúvidas mais pertinentes:

  • Como classificar os graus de celulite?

    Existem diferentes graus de celulite, avaliados através da “Cellulite Severity Scale” que a classifica como leve, moderada ou grave.Essa classificação avalia as principais características clínicas da celulite, sendo elas:

    • Número e profundidade de depressões
    • Aspecto das áreas elevadas da celulite
    • Presença de lesões elevadas
    • Presença de flacidez
    • Graus da antiga classificação.

    Cada um dos itens acima recebe uma pontuação de zero a três, e a soma total dos pontos vai mostrar se a celulite é:

    • Leve (1 a 5 pontos)
    • Moderada (6 a 10 pontos)
    • Grave (11 a 15 pontos).
  • Qual a causa real da celulite?

    As alterações no tecido de gordura que existe sob a pele. Elas tornam a microcirculação mais difícil, fazendo com que haja um aumento de tecido fibroso e consequente inflamação no tecido subcutâneo. Os músculos fracos também são motivos para o surgimento da celulite, pela falta de estímulo correto.

  • Os tratamentos para celulite são realmente eficazes?

    A celulite não tem cura, mas é possível conter seus avanços e diminuir bastante seu aspecto visual. Cada organismo reage de uma forma diferente a determinado tipo de tratamento para celulite. Há mulheres com maior tendência em acumular gorduras que outras e a combinação das ações devem ser avaliadas pelo médico.

  • Quais as dicas mais relevantes para diminuir as celulites?

    A primeira e mais importante dica é se preocupar mais com a alimentação. Quanto mais rica em nutrientes e pobre carboidratos e sal, menores serão as chances de desenvolver a celulite. Evite frituras, doces, refrigerantes e comer sem mastigar adequadamente o alimento. Beba muita aguá, em média 2 a 3 L por dia.

    A segunda dica é sair do sedentarismo e procurar atividades físicas que possam não só diminuir o sobrepeso, mas também proporcionar maior qualidade de vida.

  • Quais os tratamentos mais eficazes?

    Cada tratamento é específico para determinado grau de celulite. Alguns podem não dar resultados se a mulher estiver em avançado grau de celulite, enquanto outros são muito intensos para os casos mais leves. Os mais praticados são:

 

  • Drenagem linfática: massagem manual que ativa a circulação. Pode ser feita em todos os graus de celulite, como tratamento auxiliar;
  • Endermologia: massagem na pele feita por equipamentos, para atingir maior força e profundidade;
  • Sub incision: cirurgia de pequenas proporções, indicada para graus mais elevados de celulite. A anestesia é local e pode ser feita no consultório médico. Uma agulha ultrafina é inserida para cortar as fibras enrijecidas e parar o repuxamento da pele da região;
  • Laser: repara as células de gordura, recuperando as que estão dilatadas e os septos fibrosas;
  • Sculptra: ativando a formação de colágeno, que vai aumentar a espessura da pele, aumentando a elasticidade;
  • Radiofrequência multipolar: Trata as camadas superficiais e profundas da pele e tecido subcutâneo;
  • Ultrassom macrofocado: Destruição instantânea dos adipócitos superficiais e profundos. Destruição dos septos fibrosos da celulite.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

Comentários

Posted by Dra. Mariana Dubrull