fungos no couro cabeludo

Fungos no couro cabeludo: sintomas, causas e tratamentos

Coceira, crostas, manchas avermelhadas, bolhas, descamação e quebra de cabelo são alguns sinais que merecem uma avaliação dermatológica, pois podem ser sintomas de fungos no couro cabeludo.

Uma das principais  doenças causadas por fungo no couro cabeludo e a Tinea do couro cabeludo. A tinea capitis é um tipo de dermatofitose. Nos Estados Unidos, a tinea capitis é causada principalmente pelo fungo Trichophyton. A tinea capitis é altamente contagiosa e muito comum entre as crianças.

Os fungos no couro cabeludo são micro-organismos que alimentam-se de células mortas, existentes na região, cabelos, unhas e outras partes da pele. Por essa razão, as micoses podem ser transmitidas com muita facilidade de uma área a outra do corpo e também de um indivíduo para outro.

Uma pessoa com fungos no couro cabeludo poderá contagiar outra pessoa, ao compartilhar a mesma cama e objetos de uso pessoal, como pentes e escovas de cabelo, toalhas de banho, bonés, chapéus e lenços de cabeça.

Como esses fungos crescem mais rapidamente em ambientes molhados e quentes, o couro cabeludo úmido e sujo oferece as condições adequadas para que eles se desenvolvam.

Sintomas de fungos no couro cabeludo

Coceira, manchas avermelhadas e descamação são alguns dos sintomas de fungos no couro cabeludo. Outra consequência é a quebra de cabelo, mais perto da base, formando espaços vazios (sem fios de cabelos) em alguns pontos da cabeça.  

kerion

Uma infecção causada por dermatófito ocasionalmente causa kerion, que é uma placa grande, dolorida, inflamada e inchada no couro cabeludo, e que às vezes secreta pus. Um quérion pode ter bolhas e crostas e pode se parecer com um abscesso (bolsa de pus). Um quérion é causado por uma reação do sistema imunológico ao fungo e pode resultar em perda de cabelo com cicatriz.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é feito pelo dermatologista. Em geral, o exame clínico é suficiente para detectar a ação de fungos no couro cabeludo. Outros exames como o micológico direto e a cultura poderão ser solicitados, caso o médico considere necessário investigar, mais detalhadamente, o tipo de microrganismo que está causando a infecção.

É importante saber, contudo, que o tratamento dessa condição é demorado, pois os agentes patogênicos são bem resistentes. Portanto, o sucesso do tratamento depende do comprometimento do paciente com todas as prescrições médicas.

O tratamento pode ser feito à base de medicamentos apropriados, prescritos pelo médico, administrados por via oral, com duração de até dois meses. Durante e depois do tratamento com remédios, o médico poderá solicitar exames.

Xampus de uso medicinal também são uma forma bem eficaz de tratamento. No entanto, apesar de trazerem em sua formulação substâncias que combatem os fungos no couro cabeludo, esses produtos têm o efeito negativo de ressecar os cabelos, o que se acentua com seu uso prolongado. Mesmo assim, o uso local e a eficácia dos xampus fazem deles uma ótima opção no combate a esse problema.

Para quebrar o ciclo dos fungos, é importante adotar outras medidas:

  • Não compartilhar escovas de cabelo, pentes, toalhas e acessórios.
  • Higienizar escovas e pentes com hipoclorito de sódio (água sanitária).
  • Trocar toalhas de banho com mais frequência.
  • Manter o couro cabeludo limpo e seco.
  • Familiares devem passar por avaliação médica.

Os fungos no couro cabeludo podem ser de difícil combate, mas com ajuda especializada, as chances de cura são grandes.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais sobre o meu trabalho como dermatologista em Araraquara.

Comentários

Posted by Dra. Mariana Dubrull