hidrosadenite

Hidrosadenite, como tratar?

A hidrosadenite pode ser caracterizada como uma doença crônica presente na pele, que ocasiona o surgimento de pequenos nódulos inflamados debaixo da camada da pele.

A hidradenite supurativa é uma doença de pele crônica inflamatória. A doença geralmente surge em locais que a pele possui uma prega e onde há contato de uma parte da pele com outra, como nas axilas, virilhas, genitais, intramamárias, umbigo e dobra das pernas e dos braços. A pele destas áreas é mais rica em um tipo de glândula, a sudorípara apócrina. Acredita-se que a hidradenite supurativa representava uma inflamação, ou infecção, destas glândulas.  As causas da hidradenite supurativa ainda não estão bem estabelecidas, mas ela pode ser considerada uma doença autoinflamatória, quando ocorre uma resposta inflamatória exagerada que agride e danifica a pele e as estruturas associadas.

Não existe cura para a hidrosadenite, porém, os sintomas podem ser aliviados e controlados com alguns tratamentos.

Vale dizer que a hidrosadenite costuma afetar mais mulheres do que homens, e ocorre em qualquer idade, porém é bem mais comum na fase da puberdade.

Os principais sintomas são:

  • nódulos na pele, que parecem “espinhas internas”;
  • dor e sensibilidade;
  • cicatrizes persistentes mesmo com o desaparecimento dos nódulos;
  • formação de fístulas ou túneis (canais) sob a pele;
  • inflamação da pele;
  • vermelhidão intensa;
  • nódulos persistentes e doloridos, que podem durar por semanas ou meses;
  • nódulos que aumentam de tamanho;
  • cicatrizes permanentes.

Existem diversos tipos de tratamentos para a doença, como a ingestão de remédios como: antibióticos, corticóides e imunomoduladores, que possuem ações específicas, tais quais:

  • antibióticos: ajudam a não aparecer nódulos inflamados na pele e são utilizados em forma de pílulas ou pomadas.
  • corticóides: servem para serem injetados nos nódulos com o intuito de reduzir a inflamação durante os período de crise ou utilizados na forma de comprimidos para suprimir os sintomas.
  • imunomoduladores: tem o objetivo de reduzir a resposta imunitária, fazendo com que o nódulo não se desenvolva. Indicado em casos graves e refratários.

Porém, dependendo do grau de gravidade da doença, os medicamentos não fazem tanto efeito, não sendo possível controlar os sintomas. Nesses casos, o dermatologista, o profissional mais recomendado para tratar o caso, pode recomendar a realização de cirurgia.

Cirurgia para hidrosadenite

A cirurgia para hidrosadenite geralmente é indicada para casos mais persistentes da doença, no momento em que não é possível atenuar os sintomas apenas com medicamentos.

É importante ressaltar que o tipo de cirurgia depende da quantidade de pele afetada. Quando é uma pequena parte da pele que está sob efeito da doença, é feito apenas um pequeno corte para drenar os nódulos com o intuito de aliviar a dor e o inchaço na região.

Já em áreas maiores, por sua vez, o especialista tem a opção de retirar toda a pele com a doença e substituí-la por um enxerto de pele saudável de outra parte do corpo. É importante ressaltar que, embora esta intervenção cirúrgica possa remover a hidrosadenite na região, não impede o surgimento da doença em outros locais da pele.

Depois da cirurgia, existem algumas ações que podem ser tomadas para trabalhar no preventivo da doença. Que são:

  • contínua higiene local;
  • evitar o desodorante antitranspirante e desodorante;
  • uso de sabonetes antissépticos;
  • aplicação de compressas quentes com solução de cloreto de sódio;
  • uso de roupas confortáveis;
  • preferência por depilação à laser;
  • descontinuação do tabagismo e do uso regular de bebidas alcóolicas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

Comentários

Posted by Dra. Mariana Dubrull