lúpus dermatológico

Tire suas dúvidas sobre o Lúpus Eritematoso Sistêmico

Você já ouviu falar em uma doença chamada lúpus eritematoso sistêmico? Considerada como uma patologia rara e autoimune, o lúpus eritematoso sistêmico faz com que o sistema imunológico do paciente reaja contra suas próprias células. Essa reação do organismo pode trazer danos para os órgãos internos da pessoa, como rim, pulmão, coração, cérebro e articulações, e também para a sua pele.

Lúpus eritematoso sistêmico é uma doença rara autoimune, ou seja, na qual o sistema imunológico reage contra as células da própria pessoa, causando danos que podem ser nos órgãos internos (rim, pulmão, coração, cérebro e articulações) ou somente na pele.  Afeta mais as mulheres que os homens, e mais adultos jovens que crianças e idosos.  Trata-se de uma doença crônica em que é importante o tratamento contínuo e monitorização para avaliar a atividade da doença.  Como a pele é afetada em 80% dos pacientes, o médico dermatologista é frequentemente o responsável pelo diagnóstico.

Por se tratar de uma doença crônica, é importante que o tratamento do lúpus  seja feito de maneira contínua e monitorada. Dessa forma, é possível acompanhar o desenvolvimento do problema e evitar que qualquer tipo de agravante se espalhe e piore a condição do paciente.

Pesquisas revelam que o lúpus afeta mais as pessoas do sexo feminino, tendo baixa incidência em homens. A faixa etária mais atingida são jovens adultos, tendo pouca incidência entre idosos e crianças. Para realizar o diagnóstico desse problema,muitas vezes  o paciente procura um dermatologista. Isso acontece porque mais de 80% das pessoas afetadas pelo lúpus  tem sua pele afetada pela doença.

Conheça os sintomas

Os sintomas apresentados pelo lúpus eritematoso sistêmico irão variar de acordo com o órgão afetado pela doença. Essa situação traz grandes prejuízos quando o assunto é diagnóstico, pois acaba atrasando a identificação do problema e agravando a situação do paciente.

Quando o lúpus  afeta a pele da pessoa, é muito comum que o principal sintoma apresentado seja uma elevada sensibilidade ao sol em regiões do corpo que normalmente ficam expostas, como os braços e o rosto. Diversas manchas vermelhas também podem aparecer no paciente. Quando não são cuidadas da forma correta, essas manchas podem descamar e causar cicatrizes no corpo.

Outro sintoma da doença é a queda de cabelo. Isso acontece quando o lúpus  atinge áreas com pelos, como é o caso do couro cabeludo.

Os sintomas mais comuns apresentados por pacientes que desenvolveram a doença em órgãos internos são a dificuldade respiratória, convulsões, aparecimento da trombose,  dor articular, perda de peso e má funcionamento dos rins. Além disso, dor nas articulações e mal-estar também são sintomas causados por esse problema de saúde.

Como tratar?

O tratamento do lúpus varia de acordo com o local em que a doença está presente no corpo do paciente. A proteção contra os raios solares é o primeiro passo na busca pelo tratamento desse problema. Na maioria dos casos, recomenda-se que o paciente faça uso de remédios imunossupressores como corticoides sistêmicos, antimaláricos e biológicos por muito tempo. Esses medicamentos vão trabalhar na redução das inflamações na pele e órgãos internos.

Além disso, o lúpus eritematoso sistêmico também pode ser tratado por meio da utilização de cremes próprios para a doença. Em alguns casos, especialistas recomendam que o paciente tome várias injeções locais que também irão trabalhar na redução das inflamações. Uma equipe multidisciplinar com reumatologistas, neurologistas, nefrologistas e pneumologistas pode ser necessária.

Para ter acesso ao melhor diagnóstico e tipo de tratamento, procure um dermatologista e garanta que sua saúde esteja em boas mãos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp