Microagulhamento

Microagulhamento: para que serve e seus benefícios

Uma única técnica pode ser utilizada para rejuvenescimento, queda capilar e estrias entre outros problemas estéticos. É o microagulhamento, atual sucesso da medicina estética que vem sendo muito procurado por mulheres que desejam ter uma aparência natural e saudável, sem precisar recorrer a cirurgias plásticas.

A técnica utiliza um aparelho com microagulhas, que são aplicadas diretamente na pele que precisa de tratamento. De acordo com o tipo de resultado esperado as microagulhas podem ter espessuras diferenciadas, que fazem microperfurações capazes de estimular uma regeneração celular e aumentar a produção de colágeno.

O que é microagulhamento

A técnica de microagulhamento está presente no Brasil há apenas quatro anos e já é uma das mais procuradas dentre os tratamentos estéticos. O motivo são os resultados positivos que vem apresentando, que são capazes de superar as expectativas de mulheres ansiosas por uma pele mais jovem e bonita.

O processo utiliza um aparelho chamado Roller, onde são acopladas em média 200 microagulhas bem finas, usadas diretamente na pele danificada. Ele age como um rolo para que as microagulhas perfurem a pele e provoquem uma inflamação no local que estimula a produção de fibroblastos, os responsáveis pela produção de colágeno.

O procedimento pode ser dolorido e desconfortável, sendo recomendado o uso de uma pomada anestésica antes de iniciar a técnica. A ação circular na pele e sua consequente inflamação podem causar inchaços e vermelhidão, mas causam uma renovação celular e a remoção de manchas de acne e melasmas, mesmo das marcas mais profundas.

Não são só as células danificadas que são retiradas, mas também os microvasos sanguíneos, que se renovam e acentuam a oxigenação celular, deixando a pele mais saudável, nutritiva e bonita. O mesmo acontece para diminuir a queda capilar, provocando uma circulação sanguínea mais ágil e capaz de ampliar o desenvolvimento dos fios.

O microagulhamento também é indicado para quem tem estrias, especialmente as mais brancas e recentes, podendo ser utilizado em qualquer parte do corpo. Ao final do tratamento é possível deixar as estrias imperceptíveis e a pele mais macia. Pode também ser usado em cicatrizes cirúrgicas, melhorando seu aspecto e sua textura.

Como é feito o procedimento e os resultados práticos

O resultado positivo do procedimento é estritamente ligado à técnica profissional do especialista e à higienização devida da pele. Por ser invasivo, mesmo que minimamente, há riscos de infecções e contágios graves. Como há grande procura pelo método, vem surgindo pessoas sem a especialização devida, que pode levar o paciente a riscos desnecessários.

Após a higienização da pele é aplicada uma pomada anestésica para diminuir o desconforto e a dor que o microagulhamento pode causar. O aparelho roller é aplicado cinco vezes em cada direção, direita, esquerda, vertical, horizontal e diagonal, com uma espessura de agulha escolhida pelo especialista para atingir o objetivo estético desejado.

Assim que termina o procedimento não é possível ver os resultados, já que geralmente ocorrem inchaços. Cada problema tem uma quantidade específica de aplicações, que devem ser realizadas com um espaço de pelo menos 3 semanas. Mesmo que após a finalização de todo o tratamento seja possível analisar o resultado, quando o rosto desincha já dá para perceber uma pele mais aveludada e viçosa.

Não é indicada a exposição ao sol durante o tratamento, para evitar o surgimento de manchas e ressecamento da pele. O ideal é que seja sempre aplicado um protetor solar em qualquer tipo de exposição ao sol.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp