rejuvenescimento íntimo

Muito além da aparência: conheça os benefícios do rejuvenescimento íntimo

A partir dos 30 anos, em média, o corpo humano começa a entrar num processo de envelhecimento natural, cuja velocidade dependerá da constituição física individual e dos seus hábitos cotidianos. Mas quando se fala em envelhecimento o primeiro pensamento se direciona para as rugas faciais e a fraqueza óssea, porém esse processo serve para todo o corpo, inclusive as áreas íntimas.

O envelhecimento feminino é marcado pelo período que antecede a menopausa, quando a gradual baixa de produção hormonal começa a apresentar muitos sintomas. Dentre eles a falta de lubrificação vaginal e sua flacidez, dificultando as relações sexuais e apresentando até mesmo dor e falta de desejo.

Como acontece o envelhecimento íntimo

A vida reprodutiva da mulher começa a ser projetada desde antes de seu nascimento, com a produção dos óvulos que irão ou não ser utilizados ao longo de sua fase adulta. Do início da menstruação na puberdade até o fim do ciclo na maturidade, o corpo feminino passa por inúmeros processos de transformação causados pela presença dos hormônios progesterona e estrogênio.

Quando a produção desses hormônios começa a diminuir, especialmente durante o climatério, o corpo reage a sua ausência. Especialmente os próprios órgãos genitais, cujos tecidos dos pequenos lábios, a uretra, vagina e clitóris podem atrofiar e causar uma irritação crônica, assim como secura vaginal que pode gerar dor na atividade sexual e diminuir o desejo sexual.

A ausência desses hormônios é a característica principal do envelhecimento íntimo. Há uma diminuição da massa muscular e conjuntiva, assim como todos os tecidos, ligamentos e músculos que envolvem o assoalho pélvico. É o assoalho pélvico que dá suporte a vagina, bexiga, útero e reto, que quando perde sua elasticidade pode ceder ou até mesmo cair. Os sintomas desse processo é a dificuldade de controlar a urina, incontinência intestinal e dor no sexo. Quanto mais filhos a mulher tiver, maiores são as chances de ter o problema.

Mas é a aparência da região íntima o maior incomodo feminino. Como a vagina também envelhece, fica mais escura, flácida e sem volume com o tempo, fazendo com que a mulher não se sinta a vontade com seu próprio corpo. Os efeitos psicológicos são muito maiores e pode até impedir a mulher de usar biquínis, lingerie e se sentir plena para o sexo.

É possível o rejuvenescimento íntimo

A dermatologia hoje apresenta métodos não invasivos, capazes de estimular a produção de colágeno e consequentemente diminuir a flacidez e outros efeitos colaterais como falta de elasticidade, dores no ato sexual, perda de lubrificação e até a vulnerabilidade para surgirem infecções.

O rejuvenescimento íntimo se popularizou no Brasil a partir de 2015 e vem apresentando grande procura entre as mulheres. Antes elas se sentiam mais constrangidas de procurar ajuda, mas hoje os tratamentos estão muito mais acessíveis.  A maioria das mulheres que buscam o tratamento tem mais de 40 anos, que já estão mais próximas da menopausa.

Em geral o dermatologista faz um diagnóstico da parte externa da vagina e indica o repasse da informação ao ginecologista da mulher, que pode oferecer um tratamento auxiliar como é o caso de infecções e reposição hormonal que podem ampliar os resultados positivos do rejuvenescimento íntimo proposto.

O tipo de tratamento dependerá do efeito desejado e da evolução do problema na paciente. Há tratamentos como o Elixir Íntimo, indicado para diminuir a flacidez da vulva usando a técnica da radiofrequência focada. Não há nenhum corte e logo na primeira sessão a paciente já pode perceber efeitos positivos.

O laser fracionado Pixel CO² estimula a regeneração celular da região e a produção de colágeno. Dessa forma é possível garantir um reforço das paredes vaginais, uma melhor lubrificação e desejo feminino. Outro tratamento a laser é o Spectra que ajuda a remover as lesões pigmentares vindas de manchas na virilha, muito comum em depilações e uso de roupas mais apertadas.

Já o Peeling Íntimo elimina as células mortas através da aplicação de ácidos, trazendo uma pele mais lisa, clareada e com aspecto mais jovem. Outra técnica muito comum é o preenchimento com ácido hialurônico, que pode ajudar a levantar a flacidez da região.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

Comentários

Posted by Dra. Mariana Dubrull