acne

Você sabe como surge a acne?

A acne é uma condição inflamatória muito recorrente e pode afetar qualquer indivíduo, especialmente durante a adolescência. O problema pode surgir em qualquer região da pele, embora sua incidência seja maior no rosto, costas e peito.

Ainda que seja extremamente comum, poucas pessoas sabem como essa condição se estabelece em nossa pele e quais são as razões por trás do seu surgimento. Com isso em mente, elaboramos este artigo para sanar as dúvidas a respeito da formação das espinhas e as maneiras mais simples de evitá-las.  

Vamos lá?

Principais causas da formação da acne

Nem sempre a causa das espinhas está relacionada a hormônios ou ao estresse, mas é verdade que as peles oleosas são as mais atingidas. Vale lembrar que as referidas espinhas decorrem de lesões na unidade pilossebácea. Nesse processo, a glândula responsável por secretar o óleo da pele se inflama, o que ocasiona a formação do pus normalmente espremido das espinhas.

Esse quadro apresenta quatro mecanismos principais:

  • Aumento na produção e/ou mudança química do sebo secretado pelas glândulas sebáceas;
  • Colonização bacteriana, ou seja, a formação da espinha é consequência direta de uma infecção;
  • Hiperqueratinização inflamatória, que é a produção em excesso de células mortas ricas em queratina.

Aumento de secreção do sebo

Normalmente, esse fator está diretamente ligado à alta produção de hormônios sexuais masculinos. Esses hormônios levam ao aumento da produção de sebo e consequentemente ao entupimento e processo inflamatório no canal, que serviria para o escoamento dos óleos excretados na unidade pilossebácea.

Essa “explosão hormonal” justifica o fato de a acne ser tão comum na adolescência.

Infecções bacterianas

Apesar do tom de seriedade que a palavra “infecção” carrega, não é preciso se assustar: no caso da acne, normalmente trata-se de bactérias simples que se manifestam na pele. A inflamação é resultante de substâncias biologicamente ativas que são liberadas pelas bactérias no meio em que estão, isto é, o canal pilossebáceo. Elas se instauram no local pois ali conseguem se alimentar de células mortas e do sebo (rico em óleos) produzido pelo nosso corpo. A inflamação consequente é o que causa o aparecimento da acne.  

Formação da espinha

Falemos agora mais especificamente sobre como as espinhas são formadas. Cada poro do corpo é um folículo onde reside uma glândula sebácea. Quando algum problema ocorre nesse folículo, começa o processo de formação das espinhas. Normalmente, primeiro surgem os cravos. Logo, estes evoluem para as espinhas, que podem ter diferentes tipos de apresentação e gravidade:

  • Comedão: pequeno inchaço amarelado que pode ser aberto ou fechado; O cravo preto é o comedão aberto
  • Pápula: é basicamente um comedão ainda mais inflamado, sendo maior e causando dor;
  • Pústula: erupção purulenta na pele, normalmente associada à dor e à coceira.
  • Nódulos: São conhecidos popularmente por “espinha interna”.

Atualmente, é possível contar com diversos procedimentos dermatológicos eficientes e inovadores para tratar a acne e seus vestígios (como cicatrizes, manchas e marcas). Entre em contato com um dermatologista de confiança para saber mais sobre as opções de tratamento!

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  dermatologista em São Paulo e Araraquara!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp