microagulhamento

Microagulhamento: como funciona e quais os benefícios?

O microagulhamento surgiu como solução eficaz para inúmeros problemas dermatológicos, a exemplo de redução de rugas, cicatrização de acne e estrias e até a queda de cabelo. A técnica utiliza microagulhas extrafinas para estimular a formação de colágeno na pele, proporcionando sua renovação.

Nesse quadro, vale apontar que é comum a realização do método com o equipamento Roller, que conta com 200 agulhas que se movimentam simultaneamente durante o procedimento. O sucesso do processo, entretanto, depende da experiência de especialistas que realmente dominam o método e da idoneidade da clínica que o realiza.

Para que serve o microagulhamento?

Muitas pessoas têm sido atraídas pelo método revolucionário de microagulhamento, principalmente devido aos resultados positivos que vem apresentado. No processo, as pequenas agulhas presentes no aparelho fazem miniperfurações na pele, que induzem a inflamação no local. Dessa forma, há uma estimulação da produção dos fibroblastos e colágeno.

Há ainda a renovação celular da pele, que promove a remoção de manchas de melasma e acne, possibilitando uma considerável melhora mesmo nas mais resistentes. O microagulhamento também cria novos vasos sanguíneos e aumenta a sua vasodilatação, proporcionando uma maior oxigenação na área, que se torna mais nutritiva e saudável.

O método também age na redução das estrias, amenizando sua aparência, além de suavizar cicatrizes cirúrgicas que causaram danos à pele. Como há uma melhora geral nos poros e na textura da pele, a técnica combate problemas como o surgimento da acne e suas marcas.

O microagulhamento pode ser realizado em qualquer parte do corpo, inclusive no couro cabeludo. O estímulo à circulação sanguínea permite que haja uma renovação da estrutura capilar, facilitando o seu desenvolvimento. Muito utilizado no tratamento de Alopécias e calvice.

Como o microagulhamento funciona?

Para iniciar o procedimento, é feita uma higienização da pele, com uma rigorosa assepsia da região. Em seguida, é aplicado um creme anestésico para amenizar o desconforto gerado, além de um cosmético adequado para o tipo de pele do paciente, que garante sua proteção.

O Roller ou outro tipo de aparelho é passado cinco vezes na pele, de forma vertical, horizontal, diagonal, direita e esquerda. As agulhas utilizadas variam de tamanho, conforme o problema presente na área, e quanto maiores forem, mais profundas serão as cicatrizes geradas.

Com o término do procedimento, é comum que a pele se torne avermelhada e inchada, sendo que esses efeitos também variam de acordo com a dimensão da agulha aplicada. A recuperação é rápida e é preciso manter alguns cuidados para assegurar os resultados conquistados e evitar possíveis problemas. As orientações incluem manter a assepsia da região e evitar a exposição ao sol.

Por fim, vale apontar que o microagulhamento marca uma presença cada vez maior no mercado brasileiro. No entanto, é fundamental eleger um profissional especializado e de confiança para a realização do procedimento. Além  da manipulação adequada, é necessário extremo cuidado e higienização com o material utilizado, que deve ser asséptico e descartável. Como o procedimento é invasivo e envolve contado das agulhas com sangue, é essencial que elas sejam descartadas imediatamente após o uso. O médico dermatologista, nesse sentido, é o profissional mais habilitado para realizar a técnica.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista em Araraquara!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp