Pitiríase versicolor

Pitiríase versicolor – O que é e como tratar

A pitiríase é uma doença de pele que caracteriza-se pela formação de manchas, principalmente nas costas, braços, pescoço, rosto e couro cabeludo. Há três tipos de pitiríase: pitiríase alba, pitiríase rósea de Gilbert e a pitiríase versicolor, popularmente conhecida como pano branco.

Ao contrário das pitiríases alba e rósea, ambas de causas desconhecidas, a pitiríase versicolor é causada pelo fungo do gênero Malassezia furfur, que já habitam a pele do ser humano. Em condições normais, esses fungos vivem no folículo piloso. No entanto, alguns fatores podem desequilibrar essas colônias, levando à proliferação excessiva de fungos.

O resultado desse processo é o surgimento de manchas, redondas ou ovais, castanhas ou amarelas. Visualmente, parecem brancas, devido ao contraste com a pele pigmentada ou mais bronzeada. A pitiríase versicolor não é uma doença transmissível, pois os micro-organismos estão presentes na pele de todas as pessoas. No entanto, causam incômodo pelo aspecto visual. No verão, as manchas ficam mais evidentes, devido ao contraste com a cor da pele bronzeada.

Como surge a pitiríase versicolor?

Dois fatores favorecem o desenvolvimento da pitiríase: umidade e calor. Por esta razão, é no verão que a incidência desse tipo de micose é maior. Mas ela não surge somente em pessoas que frequentam as praias. O suor da pele e oleosidade excessiva são suficientes para a proliferação do fungo.

A micose pode surgir como efeito do uso contínuo de pílula contraceptiva, corticoides e remédios imunodepressores. As substâncias contidas nesses medicamentos podem desequilibrar as defesas naturais da pele. A desnutrição também leva à formação de pitiríase versicolor. Em geral, é assintomática, mas algumas pessoas podem apresentar coceira leve.

Diagnóstico e tratamento da pitiríase versicolor

No consultório, usamos uma lâmpada especial, denominada lâmpada Wood, para analisar as manchas. Sob a luz dessa lâmpada, as manchas de pitiríase versicolor apresentam fluorescência.

O tratamento da pitiríase versicolor é realizado com medicações por via oral e tópicas. Dependendo do caso, poderá ser recomendado o uso de sabonetes que contenham sulfeto de selênio ou cetoconazol. O sucesso do tratamento é garantido para a maioria dos casos. É importante saber que, mesmo após a cura da pitiríase versicolor, as manchas podem permanecer por mais tempo devido ao processo de cicatrização.

O paciente não deve abandonar o tratamento, achando que a medicação não está surtindo efeito. Somente o dermatologista poderá dizer se a pitiríase desapareceu por completo, deixando apenas as cicatrizes. O banho de sol poderá amenizar as manchas remanescentes. Mas é importante usar o filtro solar e não expor a pele aos raios ultravioletas, principalmente, no horário das 10 h às 16 h.

Como prevenir a pitiríase versicolor?

Como o fungo precisa de calor e umidade para se desenvolver, nos dias quentes é importante usar roupas leves, preferencialmente de tecidos de algodão, cores claras e roupas mais soltas que favoreçam a transpiração da pele.

Ao surgir o primeiro sinal de pitiríase versicolor é importante consultar um dermatologista para iniciar o tratamento no estágio inicial. Dessa forma, é possível conter o avanço da desse tipo de micose. Como a infecção é recorrente, poderá ser recomendado o uso preventivo de medicação.

Quer saber mais? estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais sobre o meu trabalho como dermatologista em Araraquara.

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp